Brasil assina mais de 20 acordos de cooperação em missão empresarial em Pequim

Brasil assina mais de 20 acordos de cooperação em missão empresarial em Pequim

Compartilhar
Copiar link

Compartilhar

Compartilhar esse link com
Copiar link
Link copiado!

Negociações contribuirão para fortalecer ainda mais as relações bilaterais com a China

Durante importante agenda com mais de 30 setores estratégicos da economia brasileira, a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil) formalizou parceria com a aceleradora Venture Cup China e com a Beijing Hycore Innovation. Além destes, empresas brasileiras como BMV global, Vale, Suzano, entre outras assinaram acordos também para fomentar inovação, sustentabilidade e mais parceria em diferentes setores da economia brasileira e chinesa.

Tradicional parceira da ApexBrasil, a Venture Cup realiza há três edições a semana de inovação com a Agência, além de programa de softlanding para ajudar empresas nacionais na chegada ao mercado chinês. Neste âmbito, o acordo com a Beijing Innovation foi para formalizar instrumento de cooperação com o objetivo de apoiar startups brasileiras a estabelecer negócios com a China, no contexto da competição de empreendedorismo e evento global HICOOL 2023.

As assinaturas ocorreram durante a realização do Seminário Econômico Brasil-China, evento organizado pela ApexBrasil, com apoio do governo federal, do Conselho Empresarial Brasil-China (CEBC) e uma ampla rede de parceiros. A plateia reuniu autoridades do Brasil e da China, bem como empresários de ambos os países.

Como agência de promoção de exportações e investimentos, tendo como missão estratégica também a promoção de imagem do Brasil no exterior, a ApexBrasil avalia que o sucesso desta missão empresarial se reflete também na quantidade de acordos assinados que contribuirão para fortalecer ainda mais as relações entre o Brasil e a China.

Parceiro

A China é, desde 2009, o maior parceiro comercial do Brasil e uma das principais origens de investimentos em território brasileiro. Em 2022, a corrente de comércio atingiu recorde de US$ 150,5 bilhões, com exportações brasileiras de US$ 89,7 bilhões e importações de US$ 60,7 bilhões.

Em 2021, a China foi o oitavo maior investidor (e primeiro da Ásia) no Brasil, à frente do Japão, da Coreia do Sul e da Índia. O estoque de investimento estrangeiro direto (IED) da China no Brasil cresceu US$ 7,1 bilhões em 2021, aumento de 31% em relação a 2020. Já o estoque de IED brasileiro na China aumentou 114% entre 2012 e 2021, reforçando a crescente importância do país asiático como destino da internacionalização das empresas brasileiras.

Veja a íntegra dos acordos abaixo:

  • A Comexport realiza acordo com a Furui para a venda de produtos e soluções da empresa no mercado brasileiro.
  • Motrice Soluções em Energia e China Gansu International Corporation for Economic and Technical Cooperation Co., ltd. (CGICO) firmam memorando na área de Energias Renováveis, com foco na importação e execução de serviços e investimentos.
  • A Sinomec e a Sete Partners firmam parceria nas áreas de energia renovável, agricultura e outros setores
  • A empresa brasileira BMV global constitui 2 acordos com empresas chinesas para a comercialização de créditos de biodiversidade. Um com a HRH (Chongqing), para promover o comércio e serviço sustentável, e lançamento da plataforma de comércio de crédito de biodiversidade entre a China e o Brasil. E o segundo acordo com a HRH Pharmaceutical, adquirindo o crédito de biodiversidade como mecanismo de compensação do seu impacto ambiental, e a obtenção do selo de boas práticas ESG - selo BMV de sustentabilidade.
  • A APEXBRASIL e a Venture Cup China formalizaram parceria para apoiar startups brasileiras a desenvolverem negócios na China, bem como organizar, conjuntamente, a semana da inovação, que terá foco em soluções ligadas à economia verde e de baixo carbono, à sustentabilidade aplicada ao agronegócio e à digitalização.
  • A Suzano assina 3 acordos com parceiras chinesas. 1) O primeiro com a COSCO, para a construção de 5 navios de transporte de celulose e produtos de base biológica, incluindo contrato de transporte de longo-prazo. 2) O segundo, um MoU com o grupo China Forestry Group, para colaboração em materiais de base biológica e carbono e investimentos e P&D. 3) E o terceiro, o anúncio do lançamento do Innovability Hub, na Cidade da Ciência de Zhangjiang, em Xangai.
  • A Vale celebra 7 acordos com parceiros chineses. 1) Um com a Universidade Tsinghua para intercâmbio de conhecimento técnico; 2) O segundo com a Central South University (CSU) para pesquisas científicas em siderurgia de baixo carbono; 3) Um terceiro acordo com a XCMG para desenvolvimento da primeira motoniveladora zero emissão do mundo, com porte exclusivo para atividade de mineração com a empresa XCMG. Se bem-sucedido, o projeto permitirá a migração de toda frota de motoniveladoras da Vale nos próximos anos; 4) Um quarto Acordo de Cooperação será assinado com a Baoshan Iron & Steel (empresa do grupo Baowu) para a produção de biocarvão e suas aplicações, visando soluções de descarbonização na indústria siderúrgica; 5 e 6) A Vale firma dois acordos com instituições bancárias chinesas: um com o Industrial and Commercial Bank of China (o ICBC) e o Bank of China, para cooperação financeira envolvendo linhas de credito abrangentes para mineracao no Brasil e para grandes projetos ao redor do mundo, além de outras parcerias financeiras, especialmente cooperação financeira verde, fortalecendo projetos de energia verde. 7) A Vale Indonésia assinou, ainda, um sétimo acordo de investimento em projeto com a Tisco (grupo Baowu) e a Xinhai para a construção de uma planta de processamento de níquel RKEF e outras instalações de apoio. O projeto, com potencial de baixo carbono, utilizará energia alimentada a gás.
  • O Banco BOCOM BBM anuncia sua adesão ao CIPS (China Interbank Payment System), que é a alternativa chinesa ao Swift. A expectativa é a redução dos custos de transações comerciais com o câmbio direto entre BRL e RMB. O banco será o primeiro participante direto desse sistema na América do Sul.
  • A sucursal brasileira do Industrial and Commercial Bank of China (Brazil) passa a atuar como banco de compensação do RMB no Brasil. As reduções das restrições ao uso do RMB objetiva promover ainda mais o comércio bilateral e facilitar investimentos com o RMB.
  •  A Odebrecht Engenharia e Construção, a Power China e a Sete Partners firmam parceria para trazer soluções conjuntas a projetos de infraestrutura no Brasil.
  • A Sete Partners e a Tianjing Food Group se associam para a criação de uma empresa binacional, visando ampliar investimentos na cadeia agrícola brasileira em diversas áreas, inclusive logística.
  • A APEXBRASIL e a Beijing Hycore Innovation assinaram instrumento de cooperação com o objetivo de apoiar startups brasileiras a estabelecer negócios com a China, no contexto da competição de empreendedorismo e evento global HICOOL 2023.
Tema: Promoção Comercial — Atração de Investimentos Estrangeiros — Expansão Internacional
Mercado: Ásia (Exclusive Oriente Médio)
Setor de Exportação: Alimentos e Bebidas — Máquinas e Equipamentos — Casa e Construção — Economia Criativa — Saúde — Serviços de Tecnologia
Setor de Investimento: Petróleo e Gás — Energias renováveis — Infraestrutura
Setor de serviços:

Exclusivo para usuários logados

Para acessar este conteúdo é necessário informar o tipo de Audiência

CNPJ inválido
Nome da empresa inválido
Erro: