AACC supera expectativas e amplia interesse da América Latina pelos dispositivos laboratoriais brasileiros

AACC supera expectativas e amplia interesse da América Latina pelos dispositivos laboratoriais brasileiros

Compartilhar
Copiar link

Compartilhar

Compartilhar esse link com
Copiar link
Link copiado!

A indústria brasileira de produtos para laboratórios clínicos acaba de retornar de Chicago, nos Estados Unidos, com excelentes novas oportunidades de negócios iniciadas na Annual Scientific Meeting & Clinical Lab Expo (AACC). Considerado o principal encontro do setor, o evento recebeu o pavilhão brasileiro organizado pelo Brazilian Health Devices (BHD), projeto setorial da Associação Brasileira da Indústria de Dispositivos Médicos (ABIMO) em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil).

"Essa foi a nossa terceira participação na AACC e percebemos uma grande procura pelos dispositivos laboratoriais brasileiros", comenta José Fernando Dantas, analista de acesso a mercados da ABIMO, que relaciona a visibilidade da produção nacional ao ótimo desempenho do segmento no combate à pandemia de covid-19. Entre 26 e 28 de julho, data de realização da feira, as três empresas do pavilhão brasileiro fecharam US$ 150 mil em negócios com expectativa de elevar esse valor à US$ 1,51 milhão nos próximos 12 meses.

O resultado é bastante positivo, principalmente se comparado com o obtido em 2019, ano em que o pavilhão brasileiro esteve presente pela última vez e que rendeu, às fabricantes nacionais, uma expectativa de novos negócios em torno de US$ 285 mil para os 12 meses seguintes ao evento.

Para Sílvio Arndt, da Bioclin, retornar à feira após três anos de pausa imposta pelo novo coronavírus foi primordial. "É muito bom poder participar desse momento de reentrada no mercado e com a facilidade trazida pelo BHD e pela ABIMO é melhor ainda", comenta o executivo que aproveitou a ida aos EUA para rever indústrias, consumidores e distribuidores.

Essa importante reconexão também foi citada por Rubens Freitas, CEO da Vyttra Diagnósticos. Segundo ele, depois de um longo período tendo contato apenas por videoconferência, o reencontro presencial foi excelente, principalmente por possibilitar muitos contatos em um único espaço. "É sempre difícil conseguir juntar todas as pessoas que são importantes dentro de um mesmo cliente e a feira é o local apropriado para isso", disse. Freitas resume o desempenho da companhia no evento em uma frase: "conexão e fortalecimento dos nossos vínculos com fornecedores, parceiros e clientes".

A AACC atende, principalmente, os mercados dos Estados Unidos e da América Latina e as fabricantes brasileiras entraram em contato com potenciais clientes de países como Colômbia, Costa Rica, Equador, Estados Unidos, Honduras, Panamá, Porto Rico e Venezuela. Mas as reuniões não ficaram restritas ao continente americano, já que foi possível também negociar com China e Japão.

Alexandre Guimarães, CEO da Labtest, afirma que as expectativas foram superadas. "Fizemos mais contatos do que estávamos imaginando, acessando não somente os nossos distribuidores habituais, mas também novos distribuidores", diz reconhecendo que a AACC segue muito positiva principalmente para o mercado latino-americano. Para ele, a visibilidade e a acessibilidade do evento são pontos muito fortes: "Para nós, da América Latina, é fácil ir até os Estados Unidos e isso nos permite encontrar com muita gente em dois dias e meio", finaliza.

Sobre a ABIMO

A Associação Brasileira da Indústria de Dispositivos Médicos (ABIMO) representa a indústria brasileira de produtos para a saúde que promove o crescimento sustentável no mercado nacional e internacional.

Fundada em 1962, a instituição conta com mais de 300 associados e surgiu a partir da ideia de 25 fabricantes de produtos médicos e odontológicos com o objetivo de fortalecer, organizar e regulamentar o segmento. Nesses anos de trabalho, a ABIMO expandiu suas operações de suporte à cadeia produtiva através de conselhos e grupos de trabalho, os quais respondem por todos os aspectos técnicos, operacionais e associativos do setor.

Sobre o BRAZILIAN HEALTH DEVICES

O projeto setorial Brazilian Health Devices, executado pela ABIMO em parceria com a ApexBrasil, tem como missão fomentar as exportações das indústrias de artigos e equipamentos da área da saúde. Brazilian Health Devices é a marca que reúne as indústrias exportadoras do setor e as representa internacionalmente.

Sobre a APEXBRASIL

A ApexBrasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos) tem a missão de desenvolver a competitividade das empresas brasileiras, promovendo a internacionalização dos seus negócios e a atração de investimentos estrangeiros diretos. A agência também coordena os esforços de atração de IED (investimentos estrangeiros diretos) para o país.

Tema: Exportação
Mercado: América do Sul — América Central e Caribe
Setor de Exportação: Outros
Setor de Investimento: Infraestrutura
Setor de serviços:

Exclusivo para usuários logados

Para acessar este conteúdo é necessário informar o tipo de Audiência

CNPJ inválido
Nome da empresa inválido
Erro: