UNICA debate em Nova Iorque avanços da cooperação com a Índia

UNICA debate em Nova Iorque avanços da cooperação com a Índia

Compartilhar
Copiar link

Compartilhar

Compartilhar esse link com
Copiar link
Link copiado!

A cooperação técnica do Brasil com a Índia na promoção do etanol como solução de baixo carbono para a mobilidade sustentável será tema do painel “Perspectivas para o setor sucroenergético na Índia”, nesta quarta-feira, 11 de maio, durante a 15ª edição da CITI ISO DATAGRO New York Sugar & Ethanol Conference, em Nova Iorque, Estados Unidos.

Participam do painel o presidente da União da Indústria de Cana-de-Açúcar e Bioenergia (UNICA), Evandro Gussi, e o presidente da Associação de Engenhos de Açúcar da Índia, Aditya Jhunjhunwala. A abertura do painel caberá ao deputado federal Arnaldo Jardim, presidente da Frente Parlamentar pela Valorização do Setor Sucroenergético no Congresso brasileiro.

“Mais do que um parceiro estratégico do Brasil nessa agenda, a Índia tem todas as condições de se tornar um importante player na Ásia na pauta sobre descarbonização da matriz de transportes”, afirma Evandro Gussi. “Há quase três anos, iniciamos essa parceria e já temos bons resultados”, avalia.

AVANÇOS

Desde 2019, a UNICA vem intensificando a cooperação com os indianos, ressaltando os benefícios ambientais e socioeconômicos da produção e uso de etanol como fonte de energia renovável e sustentável para a mobilidade. Um dos resultados dessa parceria é a decisão do governo indiano de antecipar em cinco anos, para 2025, a meta de misturar 20% de etanol à gasolina.

O país asiático também anunciou, no fim do ano passado, que iniciará, a partir do segundo semestre de 2022, a produção de carros com motores flex fuel, tecnologia brasileira que permite a utilização de 100% de etanol nos veículos – ou a mistura de qualquer percentual do biocombustível com o seu equivalente fóssil. No Brasil, os veículos flex estão em circulação desde 2003.

Ainda com o intuito de consolidar uma agenda integrada para a redução de emissões na matriz de transporte veicular na Índia, a UNICA e a Associação dos Fabricantes dos Automóveis Indianos (SIAM) firmaram, em abril, um memorando de entendimento. Uma das ações prevê a criação do Centro Virtual de Excelência em bioenergia, portal que reunirá informações sobre avanços tecnológicos, normas técnicas, regulamentos, políticas públicas e sustentabilidade.

NO MUNDO

O Brasil é o segundo maior produtor global de etanol, atrás apenas dos Estados Unidos, que produz o biocombustível a partir do milho. Mais de 60 países têm mandato para uso de etanol na matriz de transportes. Os benefícios do biocombustível para a saúde pública e para o meio ambiente têm levado, cada vez mais, ao aumento da mistura. Exemplo é o Reino Unido, que decidiu ampliar a mistura de etanol à gasolina de 5% para 10%.

Já a Guatemala, país que ainda não tem mandato para a mistura, avança em seu plano de implementar a mistura de 10% de etanol na gasolina. Na semana passada, a UNICA promoveu um seminário na capital guatemalteca para debater os benefícios e desafios do uso de etanol. O seminário Ethanol Talks Guatemala foi realizado em parceria com o Ministério das Relações Exteriores, Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil) e APLA (Arranjo Produtivo Local do Álcool). Participaram especialistas, autoridades e técnicos do poder público, da indústria e da academia.

NOVA IORQUE

A Conferência CITI ISO DATAGRO New York Sugar & Ethanol, que reúne sete painéis ao longo do dia 11 de maio, tem por objetivo discutir as principais questões das indústrias mundiais do açúcar e do etanol. Participam autoridades, produtores, líderes empresariais e traders de mais de 12 países.

O evento é realizado pela Organização Internacional do Açúcar (ISO) em parceria com a DATAGRO. Recebe apoio da UNICA, dentro do projeto setorial desenvolvido com ApexBrasil. Desde a sua primeira edição, a conferência é reconhecida como o evento técnico oficial do Sugar Dinner de Nova Iorque e se tornou tradição estabelecida na comunidade mundial do açúcar e do etanol.

Além da perspectiva de mercado para açúcar e etanol no Brasil e na Índia, estão na pauta deste ano a ordem de oferta e demanda mundial para as safras de cana-de-açúcar 2021/22 e 2022/23; o papel do etanol enquanto combustível propulsionador de projetos de mobilidade sustentável; e investimentos, fluxos mundiais de comércio, inovações e tendências tecnológicas do setor.

O PROJETO

A ApexBrasil e a UNICA tornaram pública em fevereiro de 2008 uma estratégia para promover a imagem dos produtos sucroenergéticos no exterior, em especial do etanol brasileiro como uma energia limpa e renovável. As duas entidades assinaram um convênio que prevê investimentos compartilhados. O projeto pretende influenciar o processo de construção de imagem do etanol e demais derivados da cana-de-açúcar junto aos principais formadores de opinião mundial – governos e meios de comunicação, bem como empresas de trading, potenciais investidores e importadores, ONGs e consumidores.

Exclusivo para usuários logados

Para acessar este conteúdo é necessário informar o tipo de Audiência

CNPJ inválido
Nome da empresa inválido