Startups brasileiras fecham negócios no Chile durante missão de imersão do StartOut Brasil em Santiago

Startups brasileiras fecham negócios no Chile durante missão de imersão do StartOut Brasil em Santiago

Compartilhar
Copiar link

Compartilhar

Compartilhar esse link com
Copiar link
Link copiado!

Programa que já gerou mais de US$ 16 milhões com internacionalização de startups encerra mais um ciclo no Chile

Antes mesmo de acabar os seis dias da missão de imersão de startups brasileiras no Chile, a startupMeuResíduo, da área de CleanTech, já estava com contrato assinado com um cliente chileno. A startupoferece uma plataforma para gestão de informações ambientais, com foco na logística, tratamento e monitoramento da cadeia de resíduos. A missão faz parte do programa StartOut Brasil, da Agência Brasileira de Promoção da Exportação e Investimento (ApexBrasil) que, junto com a embaixada local, oferecem uma série de atividades presenciais voltas ao processo de internacionalização. Dentre elas, treinamento de pitch, rodada de negócios com investidores, visitas a aceleradoras e apresentação para players do ecossistema de inovação locais. Na missão de imersão do ciclo Santiago 2022, realizada de 12 a 17 de junho, 15 startups tiveram a oportunidade de conhecer e conquistar o mercado chileno.

“Estamos muito satisfeitos com os rápidos avanços nas negociações com os contatos que a ApexBrasil nos apresentou. Fechamos mais um cliente e abrimos mais portas”, afirmou o CEO da MeuResíduo, Fabio Tusset. Esta foi a segunda vez que a startup participou do programa. Em 2021 fez o ciclo Lisboa, mas lá não fechou negócios. Mesmo assim, o saldo foi positivo, pois Fábio afirma que ter participado do programa antes o preparou melhor para a internacionalização. Hoje, além de 22 estados brasileiros e do mais recente cliente no Chile, a empresa já está no México, Panamá e Angola.

Fechar negócios no exterior é o principal objetivo das startups brasileiras que participam da imersão. Porém, mesmo quem não saiu com contrato assinado finalizou a missão com a agenda repleta de futuras reuniões de negociação. A missão muitas vezes funciona como o primeiro contato, como o início das negociações que podem se estender por meses. “O programa abre portas que seriam muito difíceis de abrir sem esse apoio. Tivemos ótimas reuniões no Chile e vamos seguir com as negociações”, afirmou o CEO da startup Everlog, Rodrigo Favero. A empresa oferece tecnologia em logística para gestão de fretes e também participa pela segunda vez do StartOut Brasil. Em 2019 participou do ciclo Xangai e já fechou contratos por lá com todo o apoio da ApexBrasil.

StartOut Brasil auxilia a inserção de startups brasileiras nos mais promissores ecossistemas de inovação do mundo. Esta foi a segunda vez que o programa realizou um ciclo em Santiago, pois o Chile é visto como um ponto estratégico para alcançar outros mercados.

“O mercado chileno se apresenta como uma ótima opção para plataforma de testes para expansão internacional. As empresas que conseguirem escalar seus negócios aqui estarão preparadas para fazê-lo também em outros mercados pelo mundo”, explicou a Gerente de Competitividade da ApexBrasil, Clarissa Furtado, que acompanhou as empresas durante a missão.

Para o chefe do setor de Tecnologia e Inovação da Embaixada do Brasil em Santiago, Leandro Rocha de Araújo, que fez parte da banca de seleção das startups e acompanhou as empresas durante toda a missão, o ciclo se encerra com sucesso. “Foi muito bom e foi apenas o começo. Queremos ver empresas brasileiras no mercado chileno e a Embaixada está aqui para dar todo o suporte. O Chile mostrou que está aberto à expertise e à inovação que o Brasil tem para oferecer”, concluiu.

Além das startups MeuResíduo e Everlog, participaram deste ciclo a adamaNT, Aware., CliclCompliance, Conatus Ambiental, Mindsight, NoMoo, Onegrid, PWTech, Quiron, School Guardian, Serall, Suthub e Yours Bank. Dessas, oito são de São Paulo, três do Rio Grande do Sul, duas do Rio de Janeiro, uma de Santa Catarina e uma do Espírito Santo. Todas já receberam algum tipo de investimento ou tem faturamento igual ou acima de R$ 500 mil. No Chile, buscam desde parceiros de negócio a investidores ou novos clientes.

As startups que seguirem com as negociações continuarão contando com o apoio da ApexBrasil e da Embaixada no que eles chamam de missão follow-up. Assim, os resultados dos ciclos são acompanhados até o fim.

Impactos

Entre 2017 e 2021, o programa StartOut Brasil atendeu 149 startups brasileiras. Destas, 82 apresentaram algum tipo de resultado, que variam entre resultados de negócios, resultados de gestão e de inovação. Os valores dos resultados de negócios gerados pelas empresas participantes neste período somam US$ 16.512.659,00 milhões, segundo o Relatório de Pesquisa de Impacto do programa StartOut Brasil, realizado pelo Ministério da Economia.

Os resultados de gestão e inovação relatados apontam mudanças de mentalidade e de estratégia voltadas à internacionalização. Segundo a responsável pela Unidade de Inovação do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Cristina Mieko, que também acompanhou as startups durante a missão em Santiago, “os empresários brasileiros nem sempre enxergam a internacionalização como uma possibilidade acessível. Nosso trabalho com o programa StartOut Brasil é mostrar que é possível sim e que podemos ajudar”.

Com a finalização deste ciclo, o programa StartOut Brasil completa 12 ciclos realizados em 9 diferentes países como China, Portugal, Estados Unidos, Colômbia, Canadá, Alemanha, Argentina e Chile. As inscrições para o próximo, que acontecerá em Chicago, estão abertas no site do programa www.startoutbrasil.com.br .

O programa é realizado pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil), pela Secretaria Especial de Produtividade e Competitividade do Ministério da Economia (Sepec/ME), pelo Ministério das Relações Exteriores (MRE), pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e pela Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec).

ApexBrasil

A ApexBrasil atua para promover os produtos e serviços brasileiros no exterior e atrair investimentos estrangeiros para setores estratégicos, apoiando atualmente cerca de 15 mil empresas em 80 setores da economia brasileira. Também já atendeu mais de 1.300 investidores e mais de 118 projetos no valor de US$ 23 bilhões em investimentos anunciados no Brasil. A Agência faz parte do Ministério das Relações Exteriores (MRE) do Brasil, por meio do qual conta com mais de 120 escritórios no mundo, e trabalha em estreita colaboração com outros ministérios, órgãos reguladores e entidades de classe.

Exclusivo para usuários logados

Para acessar este conteúdo é necessário informar o tipo de Audiência

CNPJ inválido
Nome da empresa inválido